13.3.08

"Chego a Mdumbi e podia fazer o que a estrada me pede. Não seguir viagem. Seguir o instinto, que garante que há qualquer afinidade freática entre o meu organismo e este pedacinho de Transkei, qualquer corrente química subcutânea e subterrânea que me relaciona com tudo o que existe aqui. Algo puro e profundo, como a água que agora corre nesta aldeia. É para isso que se viaja, para descobrir lugares que nos correm para dentro da alma."

África Acima, Gonçalo Cadilhe

2 comentários:

joui disse...

golly :O

obrigada!

RiSo disse...

face a esse comentario so consigo isto:
:)