26.7.08

michel giacometti



enquanto procurava imagens do dussaud, deparei-me com homenagens ao michel giacometti. o nome era-me familiar, especialmente porque já tinha lido o tiago pereira falar sobre o seu trabalho de recolha e espólio blindado nos arquivos públicos-não-muito-públicos da rtp. mas, de resto, uma vez mais temos um francês encantado com portugal, suas culturas e seus hábitos.

(e o museu do trabalho michel giacometti que está em setúbal e eu não sabia? tantas vezes passei por ele e só via museu do trabalho com um manequim dos correios na montra...)
veio para portugal no final dos anos cinquenta, interessando-se pela recolha e gravação de música popular portuguesa. percorreu o país de lés a lés nos vinte anos seguintes, radicando-se nas localidades mais resquecidas e longínquas, recolhendo criteriosamente as expressões musicais genuínas do nosso povo. dizem que é ainda o dele o mais exaustivo levantamento da cultura musical portuguesa, com centenas de instrumentos musicais, fotografias, recolhas de literatura popular e instrumentos de trabalho.

Editou com fernando lopes graça uma antologia da música regional portuguesa (1963, em cinco volumes) - que eu quero muito encontrar - e, em 1981, um cancioneiro popular português. "foi ainda autor de uma série de documentários televisivos, sob o título povo que canta. grande parte do seu espólio musical (também pertencente ao acervo do museu nacional de arqueologia e etnografia, em Lisboa) encontra-se ainda por editar ou organizar." (by wikipedia)








Foi esta antologia o fruto das primeiras pesquisas que Giacometti realizou em Portugal. Pôde contar com a preciosa colaboração de Fernando Lopes Graça, patente na selecção dos trechos musicais e na análise musical dos mesmos. A reedição conservou as palavras explicativas de Giacometti e os importantes textos de Graça. Embora não comporte as fotografias da pesquisa, que muito a enriqueceriam, incluiu as letras dos cantos, sempre importantes para uma melhor compreensão e acompanhamento.
É muito de louvar esta reedição dos célebres «discos de serapilheira», que na altura alcandoraram Michel Giacometti a um lugar destacado na etnomusicologia portuguesa. Foi desde logo o impacto fortíssimo do primeiro disco da série, dedicado a Trás-os-Montes, que trouxe aos intelectuais citadinos tradições e sons longínquos de um campo que inteiramente desconheciam. (attambur.com)

Ui, que agora já descobri mais nomes, e anteriores!

2 comentários:

joui disse...

dizem que os turistas, neste caso, serão mais estrangeiros do que propriamente turistas, vêem sempre o nosso país com outros olhos.
eu quero ser turista no meu país por isso. vivemos tão presos no nosso quotidiano que nos esquecemos de redescobrir os nossos próprios recantos.
eu caio sempre, sempre, nessa asneira.

JoaoG disse...

Já está marcada na agenda!

:)